Espaço Científico Cultural

CHAMBERLAND E O PARAÍSO PERDIDO

 

1a. Parte - Chamberland
capítulos LXXIII a LXXX

Capítulo LXXIII

      18 DE SETEMBRO, domingo.

      Conforme o combinado, passei na casa do João às 10 horas da manhã. Dona Rosalinda foi muito amável. Convidou-me a tomar um cafezinho e, nesse meio tempo, Aninha apareceu sorridente trazendo um pedaço de bolo de chocolate. Delicioso, por sinal. A harmonia impera nesta casa, pensei.

      Ao nos despedirmos, dona Rosalinda deixou extravasar o instinto materno:

      ¾  Tchau, filho, boa sorte.

      ¾  Ô mãe, ¾ emendou João, ¾ o exame é em dezembro. Hoje é só a inscrição para a FUVEST.

      Sorrimos.

      ¾  Então vamos, João, ¾  falei. ¾  Até breve, dona Rosalinda! Dê um abraço no seu Francisco por mim.

      O local da inscrição era próximo. No caminho comentei:

      ¾  Sua família está irradiando simpatia, João.

      ¾  Sim, ¾  concordou João, ¾  parece que de uns tempos para cá está dando tudo certo. Hoje eu vou almoçar com os pais da Glorinha e no próximo domingo Glorinha virá almoçar na minha nova casa. A mudança é quarta-feira.

      ¾  Que bom! Quer dizer que estaremos mais próximos?

      ¾  Sim.

      ¾  E o que a sua mãe achou do seu namoro com a Glorinha?

      ¾  Não achou nada. As duas estão se curtindo numa boa. Ontem mesmo elas foram juntas ao Shopping enquanto eu estudava.

      ¾  Compraram o enxoval? ¾  brinquei.

      ¾  Ô padrinho, ainda é cedo para isso.

      ¾  Você vai se inscrever mesmo para Física, João?

      ¾  Sim, já preenchi a ficha, Física diurno.

      Chegamos. Para nossa surpresa, não havia fila. Em menos de cinco minutos estávamos voltando. Ao nos despedirmos eu perguntei:

      ¾  Quando é que você vai me apresentar a afilhada?

      ¾  Se quiser pode ser hoje.

      ¾  Não, João, era só o que faltava. Você quase não tem tempo para namorar em paz. Haverá de surgir uma oportunidade melhor. Dê um beijo na Glorinha por mim. Um não, dois, você está em débito comigo, lembra-se?

Capítulo LXXIV

      ¾ VOCÊ DEVE GOSTAR muito desse seu amigo, não João? ¾ falou Glorinha.

      ¾ Quem? O Coroa? O Coroa é um boa praça. Ah, por falar nisso ele mandou uma lembrancinha pra você.

      ...

      ¾ Gostou?

      ¾ Muito. Mas você permite que ele beije a sua namorada?

      ¾ Oh, é mesmo, quase eu ia me esquecendo ele pediu para eu repetir. Com licença.

      ¾ Estou começando a gostar do Coroa, ¾ falou Glorinha sorrindo.

      ¾ Então acho que vou dar mais um. Um é pouco, dois é bom, três... é bom demais!

Capítulo LXXV

      OUTUBRO

      Outubro foi um mês de intensas atividades. Tivemos aulas complementares de Cálculo, Desenho Geométrico e Estatística, matérias recém incluídas no programa da FUVEST, além de recebermos apostilas extras de Literatura, para estudo à parte.

      A despeito disso e, também, do fato de João estar motorizado, nossa amizade se fortaleceu a cada dia.

      ¾ Coroa, ¾ falou-me João todo animado, ¾ em novembro vais conhecer a Glorinha e...

      ¾ Legal, João; e como vai ser?

      ¾ No aniversário da Aninha. Ela vai fazer quinze anos e quem vai dançar a valsa com ela sou eu.

      ¾ Tá ficando uma moça, heim! ¾ acrescentei.

      ¾ Pois é. Você me ensina uns passos de valsa, né? Meu coroa não está com nada.

      ¾ Bom, não é o meu forte, mas dá pro gasto... Sim, eu dou um jeito. Você e a Aninha vão estraçalhar, xá comigo. Passa lá em casa com ela que eu tenho um disco de valsa.

Capítulo LXXVI

      NOVEMBRO.

      ¾ Que pena, coroa, a Aninha vai sentir a sua falta. E a Glorinha, então? Ela ia se embelezar toda pra ver você. Todo dia ela pergunta: O coroa hoje não mandou nada para mim? Já estou ficando com ciúmes.

      ¾ Pois é, que chato! Mas novembro é assim mesmo, tem mais de cinco aniversários na minha família; inclusive o meu! E tudo próximo. E quando não estamos brigando a gente vai comemorar em conjunto. Deu azar. Tinha que cair no mesmo dia, pô?

Capítulo LXXVII

      FIM DE NOVEMBRO.

      ¾ Coroa! O que você achou dos comentários do Álvaro sobre o Newton? Meu, que casca grossa era esse inglês? Sir Isaac Newton! Bah, um pilantra, isso sim! Roubou as principais idéias do Hooke. Pulha! E eu que o julgava um grande homem! Que decepção!

      ¾ Ora, João, não é bem assim. É como o Álvaro falou, são suspeitas recentes, mas nada ainda confirmado. Não faça julgamento precipitado.

      ¾ E só porque o Hooke não pertencia à nobreza ¾ continuou João. ¾ Como é que pode? Quer dizer que um plebeu não pode fazer grandes descobertas?

      ¾ Não seria a primeira vez, João, nem a última, ¾ acrescentei. ¾ E isso não é exclusividade da Inglaterra. Salafrários existem no mundo inteiro. E a ciência, hoje, é dominada por eles. No Brasil também é assim; é melhor nem falar.

      ¾ Sim, mas nós somos subdesenvolvidos...

      ¾ E eles também; apenas não sabem. Os povos desenvolvidos são mais ignorantes do que nós, pois desconhecem suas fraquezas. E também se deixam dominar por salafrários: na ciência, na política, na religião... Mas eu volto a insistir, João, não faça um julgamento precipitado a respeito do Newton. Não se deixe influenciar por pré-julgamento. Se for verdade virá à tona.

Capítulo LXXVIII

      19 HORAS DO MESMO DIA.

      Deixe-me ver aquele livro que o Coroa me deu. Newton, vida e obra. Vejamos...

      Isaac Newton não foi propriamente um filósofo. Não formulou uma teoria do ser, nem uma ética nem uma completa...

      ... Não, isso não interessa. Vejamos mais para baixo:

      Newton nasceu em Woolsthorpe, Lincolnshire, Inglaterra, no Natal do ano em que faleceu Galileu: 1642. Aos 18 anos de idade, ingressou na Universidade de Cambridge...
... Suas principais contribuições para a história da ciência foram iniciadas em 1666, quando a peste que assolou a Grã-Bretanha...
...Dois anos após a publicação dos Princípios, Newton foi eleito membro do Parlamento como representante...

      Ah, eu sabia. Tinha que ser político o pilantra. Ei, esse trecho está relacionado à teoria do Coroa:

 ... A luz, para Newton, seria constituída por corpúsculos emanados pelos corpos luminosos.
... ocorreram as controvérsias sobre a criação do cálculo infinitesimal, opondo Newton e Leibniz (1646-1716). Muito posteriormente ficou comprovado ¾  apesar de Newton acusar Leibniz de plagiário ¾  que ambos chegaram às mesmas descobertas independentemente.

      Taí! Não foi só o Hooke que foi lesado. O Leibniz também. E o pulha ainda tem coragem de acusar o outro de plagiário. Sem vergonha, mau caráter. Ah, essas palavras são dele:

... "muitas razões me levam a suspeitar que todos esses fenômenos podem depender de certas forças pelas quais as partículas dos corpos, por causas ainda desconhecidas, ou se impelem mutuamente, juntando-se segundo figuras regulares, ou são repelidas e retrocedem umas em relação às outras."

      Esse trecho também está bastante relacionado à teoria do Coroa. Ainda bem que o pulha já morreu, senão quem seria passado para trás agora seria o Coroa.

      Deixe-me ver. Esse trecho parece não ter nada de interessante. Oba, vejamos a cronologia. Onde foi mesmo que o pulha nasceu? Ah, aqui está:

      Em Woolsthorpe, a...

      Ei, é isso mesmo! Consegui! Consegui decifrar o grande enigma! Essa é a descoberta do século! Não!... Do século não... do milênio! Descobri! Descobri!

      ¾ Descobriu o quê, filho? ¾ era o meu pai, que entrou no quarto preocupado.

      ¾ Nada não, pai ¾ respondi. E acho que fiquei mais vermelho que a maçã que caiu na cabeça do pulha.

      ¾ Você não acha que está estudando demais, João?

      ¾ Talvez... É, o senhor tem razão, pai. Vou sair um pouquinho. Não agüento mais esse ambiente fechado.

      Preciso contar para o Coroa a minha descoberta, pensei. A essa hora ele deve estar na Faculdade. Eu vou lá.

Capítulo LXXIX

      22:30 DO MESMO DIA.

      O Simão entrou na minha sala todo afobado:

      ¾ Doutor, aconteceu uma desgraça. O João... sofreu um acidente de moto na Paes de Barros. E parece que está grave. O doutor Eurico nem quis fazer nada; levou-o direto para a Beneficência Portuguesa.

      ¾ Não pode ser, Simão! A esta hora ele costuma ficar estudando! A que horas foi?

      ¾ Parece que foi às 8 horas, por aí.

Capítulo LXXX

      SIM, CARO LEITOR. Aconteceu o que você deve estar imaginando. A agonia de João... e também a minha,... durou cerca de cinqüenta dias. Lutei contra a correnteza o quanto pude, até perceber que eu estava frente à Grande Batalha. E só me restaria tomar o atalho que apareceu.

      Após esse período João morreu, não sem antes me incumbir de uma missão:

      ¾ Só uma coisa me prende a Chamberland ¾ falou, ¾ e você... é quem vai me libertar.

 

   * * * * *

Fim da 1a. Parte

 

 

Índice

2a Parte

Home Page